Dormir juntinho com o seu bebê é muito gostoso e muitas mães não querem que essa fase passe nunca.
Ter a cria por perto traz conforto e dá uma sensação de segurança maior, de poder fazer algo caso precise, já que estes pequenos seres indefesos ainda não sabem pedir ajuda e podem ser vítimas de alguns acidentes.
Compartilhar a cama é uma prática utilizada há muito tempo e tem muitos benefícios tanto físicos como emocionais para a criança. Com certeza é uma ótima opção, mas também é preciso tomar alguns cuidados quando se opta por ela.

Lençóis

A pele do bebê é muito delicada e assim como suas roupinhas, os lençóis devem ser lavados com produtos especiais para não causarem alergias.
Outra questão para se ficar atenta é se o lençol está bem preso ao colchão e não se soltará com facilidade com os movimentos na cama e caso o bebê o puxar.

Espaço

O mercado hoje disponibiliza camas e colchões de tamanhos bastante variados. O importante é que haja espaço para que todos durmam de forma confortável, principalmente o bebê.
Existem muitas alternativas de berços e camas auxiliares que podem ser acopladas para maior segurança de todos. O mais recomendado é que o bebê durma neste espaço “separado” ao lado da cama principal, no qual a mãe tem acesso a qualquer momento e pode tocar o bebê com facilidade.

Grades de segurança

As camas de adulto têm uma altura maior do que as camas infantis e podem ocasionar acidentes sérios caso haja alguma queda. As grades de segurança são recomendadas para os berços acoplados e também para a cama dos pais, já que a criança pode engatinhar ou rolar para a outra extremidade da cama durante um cochilo à tarde sem que se perceba.
As mães devem ficar atentas com a largura das grades, para que o bebê não escape por elas ou tenha alguma parte do corpo presa, como os braços e as mãozinhas.

O infográfico abaixo ilustra algumas de nossas dicas:

Estar ao lado estimula esse momento tão importante que é o da amamentação. Até os 6 meses é o leite materno que fortalece a imunidade e alimenta a criança de forma completa.
A cama compartilhada faz com que a mãe esteja mais disponível para amamentar e o contato com a pele de seu filho é mais constante, o que faz com que a criança se sinta mais acolhida e tranquila.
Apesar disso, há de se tomar cuidados pois as mães exaustas, ao amamentarem durante a madrugada podem adormecer e deixarem o seu peso cair sobre a criança causando sufocamentos.
Mas se cada um tem o seu espaço, seguindo estas medidas, seu bebê estará seguro e vocês poderão disfrutar de muitos momentos juntinhos! Fazer ninar, contar histórias e vê-lo acordar com um sorriso especial para você todas as manhãs.
Nós do Criando Gente acreditamos que dar amor nunca é demais e que compartilhar a cama é uma forma de fortalecer os vínculos familiares. Com o passar do tempo a criança vai criar sua independência, então aproveite para estar perto e dar o seu colo quando ela precisar.