Estamos no final do ano e chega o Outubro Rosa. O que isso significa?
Campanhas mundiais que incentivam a prevenção do câncer de mama e do colo de útero através de mutirões para fazer exames e levar informação para todas as mulheres sobre como descobrir, e se precisar, tratar desta doença.
Estimativas mais recentes do INCA, de 2016, apresentam a taxa de incidência de câncer de mama em cada 100 mil mulheres por estados no Brasil.

Os números são altos, e os estados do Sul e Sudeste do país chegam a ter uma taxa de incidência de até 91 mulheres a cada 100 mil diagnosticadas para Neoplasia Maligna da Mama Feminina.
É deste tipo de câncer que vamos falar, pois a prevenção pode estar em um ato simples, que surge no momento em que a mulher se descobre mãe e tem o poder de alimentar o seu filho com a produção do seu próprio leite, a amamentação.
Amamentar pode ser uma arma para prevenir que surjam mais casos em nosso país.
Então pense, por que pular esta etapa importantíssima na vida de seu bebê, deixar de oferecer o melhor alimento e ainda se cuidar?

O que dizem os estudos

Não é crendice popular, por isso anualmente muitas mulheres são acompanhadas por cientistas que desenvolvem pesquisas voltadas para essa finalidade de prevenção em diversos hospitais oncológicos.
Segundo dados mais recentes, a cada 12 meses de amamentação, o risco de desenvolver câncer de mama é 4,3% menor.
O fato disto ocorrer é porque a mulher fica menos exposta aos hormônios produzidos durante os ciclos menstruais, ou seja, quanto mais ciclos, mais chances da doença aparecer.
No período de amamentação ela desenvolve um bloqueio destes hormônios, como se fosse um contraceptivo natural, no qual tem o seu ciclo reprodutivo suprimido.
É bom deixar claro que, apesar desta supressão hormonal, há riscos de gravidez mesmo quando a mulher amamenta, por isso é preciso estar alerta após o parto.
Além deste motivo, uma outra hipótese é de que os tecidos mamários sofrem uma certa alteração celular quando se amamenta.
Esta mudança provoca um aumento da funcionalidade da célula, o que reduziria, inclusive definitivamente, o risco das mulheres desenvolverem esta doença.
Sendo assim, em ambas as hipóteses apresentadas, quanto maior o tempo de amamentação, maior é o tempo de prevenção.
Faça seus exames periodicamente

O câncer de mama pode ser detectado através do toque nos seios, por isso é muito importante que as mulheres tenham este hábito de tocá-los para sentir se não há caroços ou anormalidades que possam ser encontradas.
Este é um passo importante, mas exames devem ser feitos frequentemente, principalmente a mamografia, para aquelas que têm acima de 35 anos.
Antes desta idade, apenas as que têm histórico familiar ou alguma suspeita de sintomas relacionados à doença precisam fazer, sob orientação médica.
No Outubro Rosa, diversos hospitais públicos incentivam a população a fazer este exame de forma gratuita e disponibilizam sua equipe e equipamentos para intensificar a quantidade deles através de campanhas em todo o país.
Informe-se, procure o hospital, posto de saúde ou unidade itinerante mais próxima em sua cidade.
Lembre-se de que a mamografia não deve ser feita se você estiver amamentando!
Previna-se com o toque, com exames e com o maior ato de amor que você pode ter: a amamentação.